Comunidades de marcas: o que são e qual a sua importância? | Arte por Moacir Alves

Comunidades de marcas: o que são e qual a sua importância?

Uma pesquisa da Associação de Marketing Promocional (Ampro) revelou que nos últimos 3 anos as empresas investiram mais de R$45 bilhões em ações para ficarem mais próximas dos seus clientes.

O motivo desse investimento é que as marcas perceberam que se distanciaram quando decidiram focar somente em vender produtos, e se esqueceram de desenvolver um relacionamento com seu público-alvo.

Além de gerar relacionamento, existem estratégias de comunidades com clientes que podem ajudar no crescimento e na manutenção sustentável de uma empresa.

Marcas como Nike, Lego, Airbnb já usam algumas destas estratégias. No Brasil, temos o caso da Nubank, da Sallve e RD Station, entre outras.

Neste artigo vamos ver a importância das comunidades para as empresas e 3 exemplos de comunidades de marcas para ficar de olho 😉

Bora lá? Vamos começar pelo básico.

 

O que são as comunidades?

Foto de Visual Tag
Comunidades de marcas – Foto de Visual Tag

 

Comunidade é um agrupamento de pessoas unidas por interesses comuns.

Portanto, podemos dizer que comunidade é um grupo de pessoas que partilham de elementos em comum, tais como:

  • Idioma;
  • Costumes;
  • Experiências;
  • Valores;
  • Região geográfica.

 

Nos últimos 20 anos a palavra comunidade ganhou muita força – especialmente a partir de 2004 com o surgimento do Orkut.

Uma comunidade também é um local onde se reúnem pessoas com interesses semelhantes, mas que, graças à tecnologia, não precisam estar perto fisicamente umas das outras.

Essas comunidades online podem ser construídas em diversas plataformas, tais como:

 

  • Páginas de Facebook;
  • Fóruns;
  • Grupos do Whatsapp ou Telegram;
  • Portais de conteúdo.

 

O objetivo é fortalecer o laço, a troca de ideias e experiências entre as pessoas. 

Para saber mais sobre comunidades, leia também O que é uma comunidade?

Ao ver como uma comunidade online funciona, muitas empresas estão investindo na criação de comunidades voltadas para os seus clientes ou para os seus próprios colaboradores.

Assim, é possível mantê-los interessados com informações atualizadas sobre questões que envolvem a empresa. 

Outros benefícios são o estímulo ao diálogo, ao feedback e o fortalecimento do relacionamento entre ambas as partes. 

A comunidade também ajuda a construir uma melhor imagem da empresa, traz credibilidade, integridade e autoridade frente ao público.

Nesse cenário, uma empresa que sabe o que é uma comunidade online e utiliza estes recursos se destaca no mercado. 

As comunidades de marca vem crescendo cada vez mais e, com elas, surge a necessidade de um profissional apto para gerenciá-las.

É aí que entra a figura do Community Manager, o gerenciador de comunidades.

 

O que faz um Community Manager?

Um gerente de comunidades é a pessoa responsável por construir, manter e engajar as comunidades físicas e online, sejam elas relacionadas às marcas ou não.

O community manager é responsável por criar conteúdo e determinar a linguagem mais apropriada  pra interagir com o público.

No caso de uma empresa, o principal objetivo de um Community Manager é fazer com que o relacionamento entre as marcas e os seus consumidores seja o mais próximo e sincero possível. A ideia é que os clientes se tornem fãs da marca.

Para aprender mais sobre a profissão de Community Manager, leia: Quem é, o que faz e quanto ganha um Community Manager?

 

Por que sua empresa deve ter uma comunidade?

Existem diversos benefícios para uma empresa ao criar uma comunidade. Vamos citar 3 motivos. 

Fortalece o relacionamento com o cliente 

Ter um bom relacionamento com o cliente é fundamental para qualquer marca.

A comunidade vai estimular o diálogo e fortalecer o relacionamento entre ambas as partes (cliente e marca) e isso vai fazer com que aqueles membros da comunidade tenham mais confiança na sua marca e se tornarem clientes fiéis.  

 

Feedbacks para melhoria contínua

Esse é um outro ponto fundamental, o feedback dos clientes.

Um feedback positivo é muito poderoso e gera confiança de outras pessoas no seu produto/serviço. Já os negativos te mostram onde/em quê você precisa melhorar/ajustar alguma coisa.

Dentro da comunidade os clientes vão se sentir mais cômodos em dar seu feedback, ou seja, sua opinião positiva ou negativa do produto/serviço. Isso ajuda a marca a ver o que está funcionando, o que as pessoas estão gostando e o que precisa melhorar. 

 

Compartilhamento de novas ideias

Já ouviu aquela frase: “Duas cabeças pensam melhor que uma”? Isso acontece dentro de uma comunidade. 

Quando várias pessoas dão sua opinião e sugestão sobre algo, vão surgindo novas ideias e esse compartilhamento ajuda na criação de novos produtos. 

Diversas marcas exponenciais como a Disney e Nike ouvem o que dizem a comunidade e, com base no que sai dali, criam, ajustam, modelam…. Muito da inovação destas companhias vem das próprias comunidades! 

 

LEIA TAMBÉM: Como utilizar o LinkedIn Business?

 

Exemplos de comunidades de grandes marcas

Como mencionado anteriormente, as marcas já perceberam o grande poder das comunidades e correram pra criar as suas . Vamos citar o exemplo de 3 marcas e suas comunidades:

 

PlayStation

PlayStation Studios | PlayStation
PlayStation Studios | PlayStation

O Playstation faz isso por meio de páginas de mídias sociais e espaços de comunidades.

Em suas páginas do Facebook, Instagram e Twitter, por exemplo, a marca possui cerca de 20 contas diferentes direcionadas às pessoas com base em seus jogos, interesses e localizações específicas.

Para nós do Brasil, por exemplo, tem a comunidade PlayStation Brasil, que conta com mais de 38 milhões de seguidores no Facebook.

Quem tem o Playstation 4 (PSs4)  também tem uma comunidade específica, a Playstation 4.

No início do ano de 2021 a Sony anunciou uma parceria com o aplicativo Discord, uma plataforma de comunicação que é muito utilizada para entre gamers (jogadores).

Quem joga nos consoles da Sony agora pode conectar o Discord ao PS4 e PlayStation 5.

Quer aprender mais sobre o marketing de comunidades do PlayStation? Leia o artigo abaixo:

Como o PlayStation faz marketing de comunidade

 

Nike

O ponto forte da Nike definitivamente é o seu poder de inovação, que mantém seus clientes permanentemente engajados com a marca.

Isso acontece por meio de suas grandes comunidades. 

A Nike também usa as mídias sociais e espaços de comunidades dedicadas a isso.

Em suas páginas, como a do Facebook, por exemplo, a marca possui cerca de vinte contas diferentes direcionadas às pessoas com base em seu gênero, interesses e localizações específicas.

Para a galera que curte corridas existe, por exemplo, a comunidade Nike Running. Têm também comunidades específicas para mulheres – a Nike Women. Já para quem curte basketball existe a Nike Basketball e por aí vai.

A Nike também cria eventos especificamente para as comunidades, como por exemplo o Air Max Day

Este é um evento muito esperado pela comunidade de fãs de tênis porque os fãs se encontram presencialmente ou virtualmente em torno de eventos e competições especiais, que só acontecem neste momento.

A principal experiência aqui é que a comunidade vai se engajar com iniciativas e ações exclusivas.

A Nike também utiliza conteúdos gerados pelos próprios usuários nos comentários ao final dos posts e avaliações de produtos feitas pelos próprios clientes.

 

Disney

Comunidades: Disney - Imagem: Revista Azul
Comunidades de marcas: Disney – Imagem: Revista Azul

 

Que a Disney é uma das maiores e mais famosas empresas de entretenimento não é novidade para ninguém. 

Quem nunca assistiu a um filme/desenho da Disney no cinema junto com a família ou nunca cantou alguma música das famosas trilhas sonoras dos desenhos animados?

Em suas redes sociais, como a do Facebook, por exemplo, a marca possui mais de 40 contas diferentes direcionadas às pessoas com base em gênero, idade, interesses e lugares específicos.

Para a galera que tem o Disney +, que é a plataforma de streaming da Disney,  existe a comunidade DisneyPlus Brasil. 

Para quem curte os parques temáticos de Orlando, tem a Disney World Brasil. 

Já se você curte viagens, tem a comunidade Disney Destination Latam, criada especialmente para os profissionais de turismo da América Latina e para quem também curte dicas de viagens. 

E por aí vai. 

A Disney também tem eventos para as suas comunidades.

O principal deles se chama D23 Expo que começou em 2009 e acontece a cada 2 anos, sempre na cidade de Anaheim, na Califórnia.

Além desse, existem diversos eventos que a Disney realiza ao redor do mundo.

Agora você já imaginou saber como é o processo de criação de um parque da Disney e ver quem está por trás do desenvolvimento das atrações e qual é o segredo da magia do local?

Você pode!

A Disney criou, em 2019, um programa gratuito que se chama Imagineering in a Box.

Esse programa compartilha os bastidores, o que está por trás da magia da companhia.

O programa está disponível em vários idiomas, incluindo o português e espanhol.

 

Disney Institute

Outro bom exemplo é o Disney Institute.

O Disney Institute foi criado para dar a pequenas empresas a oportunidade de conhecer as práticas usadas pela empresa Disney. 

No Disney Institute, a pessoa pode ver a execução das atividades do diaadia e também ver como eles usam a liderança, lealdade/fidelização, gestão, serviço e criatividade.

Quem não gostaria de participar de algo assim, hein?!

 

A Disney conta alguns aplicativos para comunidades específicas, como por exemplo:

 

  • My Disney Experience 

O aplicativo serve para você organizar sua viagem para a Disney de Orlando.

 

  • O Reino Mágico da Disney

Um dos jogos mais famosos para celular da Disney com mais de 90 milhões de jogadores de várias partes do mundo.

Nesse jogo você pode criar o parque da Disney dos seus sonhos junto com muitos personagens.

 

ESPN

Comunidades de marcas: Disney_ESPN
Comunidades de marcas: Disney_ESPN

 

O ESPN é um dos maiores aplicativos de esporte que (veja só!) também pertence à Disney.

Num mundo onde (quase) tudo está interligado, as comunidades são essenciais para gerar engajamento, fortalecer relacionamentos, gerar feedbacks e consequentemente, trazer mais clientes felizes para a marca – e clientes que ficam!

 

Quer saber mais sobre o mundo dos negócios?

Então siga o WorkStars nas redes sociais Twitter | LinkedIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

 

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também