Investimentos | Arte por Moacir Alves

Investimentos: tipos de investidores, rodadas e mais, entenda sobre

Ter um dinheiro reservado apenas para investir e um objetivo bem delimitado são dois pontos muito importantes para um investidor. A princípio, o mercado de capitais brasileiro oferece várias opções de investimentos para diversos tipos de investidores, e é interessante esclarecer que não existe um investimento melhor do que outro, mas existem perfis diferentes de investidores. Vamos conhecer alguns deles!

Quais são os tipos de investidores?

Investimentos: tipos de investidores, rodadas e mais, entenda sobre

De acordo com a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) existem três grandes tipos de perfil do investidor: conservador, moderado, arrojado ou agressivo. Esses são os três principais perfis com que trabalham as instituições financeiras. 

O perfil de investidor é delineado segundo certas características de uma pessoa e sua aceitabilidade em relação ao risco. Essa definição em relação ao perfil ajuda a direcionar melhor as escolhas de investimentos, evitando arriscar acima do que seu perfil aceita. Conheça cada um: 

Conservador

Assim como o próprio nome sugere, o investidor de perfil conservador possui a maior aversão ao risco, ou seja, prefere investir seu dinheiro em produtos que apresentem nenhum ou baixo risco. Dessa forma, podemos dizer que o investidor conservador busca  receber ganhos reais com o menor risco possível, mesmo que para isso tenha que abrir mão de certa rentabilidade.

Portanto, os investimentos de Renda Fixa são os que possuem a maior afinidade com o perfil conservador, pois  os riscos apresentados são baixos e existe a “garantia” de uma renda mensal. CDBs, títulos públicos e fundos de renda fixa são alguns dos produtos de investimento escolhidos dessa categoria.

Moderado

Já o perfil moderado é considerado um nível intermediário em relação ao risco. Esses investidores assumem riscos mais elevados do que as conservadoras. Contudo, diante de sinais de vulnerabilidade do mercado, elas retornam aos investimentos mais seguros, que representam a sua zona de conforto.

Os investidores dentro desse perfil possuem preferência por aplicações equilibradas em renda fixa e variável, isto é, eles investem 50% em renda fixa e 50% em renda variável, buscando a maior rentabilidade possível.

Eles buscam por retornos mais elevados, porém, sem ter que correr riscos muito altos. Formando, assim, uma carteira bem diversificada, investindo em CDBs, Tesouro Direto, Previdência Privada e, eventualmente, em ações de algumas empresas. A composição do portfólio do perfil moderado busca sempre o melhor balanceamento entre segurança, liquidez e rentabilidade.

Arrojado ou agressivo 

Por fim, o investidor com o perfil arrojado ou agressivo está em busca de rendimentos maiores e disposto a correr riscos para que isso aconteça. Exposto, portanto, com a imprevisibilidade e as perdas em curto prazo para que se tenha altos ganhos em um tempo maior.

Nesse perfil, o investidor preferirá a renda variável, podendo aplicar em ações, fundos de ações, compra e venda do câmbio, fundos imobiliários etc. Logo, o potencial de retorno é maior devido ao risco elevado desses investimentos.

Inteligência emocional é uma característica muito importante para os investidores agressivos, pois precisam lidar com possíveis perdas financeiras. Normalmente, se tornam investidores de perfil arrojado aqueles que  já têm conhecimento do mercado financeiro e um patrimônio maior, exatamente por conta dessas possíveis perdas.

Outro ponto é que um bom negócio passa por outras etapas de investimentos, é necessário investir no início, para contratar profissionais, por exemplo. É aí que entram as rodadas de investimento, você sabe o que elas são? 

O que são rodadas de investimentos? 

Rodada de investimento é um processo de fundraising realizado pelas startups. Ou seja, é o momento em que essas empresas buscam recursos para o crescimento e desenvolvimento de suas soluções em massa. É o modelo que a maior parte das startups e fintechs usam para se financiar.

As rodadas (ou rounds) de investimento também são conhecidas como séries e seus nomes seguem a ordem alfabética: a primeira rodada significativa é a Série A, a segunda é a Série B e assim por diante. Então, cada série pode ser composta por um fundo de investimento único ou por uma série de fundos que, juntos, fazem o aporte na startup. Além disso, existe o investimento anjo e Seed

Fonte: Distrito.me
Fonte: Distrito.me

Investimento Anjo

A princípio, é a primeira rodada de investimentos de qualquer startup. É utilizada para testar a tese, montar o time inicial e desenvolver um MVP (minimum viable product), o Produto Mínimo Viável.  Costuma ser composta por pessoas físicas, notadamente Family & Friends (família e amigos) e pequenos investidores profissionais. Os valores de investimento podem chegar até R$1 milhão.

Seed ou Investimento Semente:

Seed ou investimento semente são as rodadas de investimento que buscam captar recursos para um estágio mais avançado da startup, quando já começa um processo de marketing e vendas, como personas e soluções já conhecidas.

Sendo assim, a solução já está madura e os recursos captados contribuem para a aceleração do negócio e para o poder de escala, chegando ao grande mercado. Essas rodadas de investimentos costumam movimentar valores que variam entre R$400.000 a R$2.000.000.

Série A

Quando a startup já alcançou um mercado e pretende lançar novos produtos para chegar a novos consumidores é hora de procurar recursos em uma rodada de investimento Série A.

Geralmente, os valores ofertados estão entre R$5  a R$ 40 milhões. Os principais pontos levantados por possíveis investidores são sobre o plano de negócios a longo prazo das startups e o poder de atingir o novo mercado.

Fundos Venture Capital e Private Equity são investidores que, geralmente, participam dessas rodadas e investem em startups nesse estágio.

Série B

Quando a empresa recebe o aporte de série B, ela já está na fase em que desenvolveu uma base fiel de clientes e seu modelo de negócio é comprovado. 

Com os novos recursos,  investidores se propõem a contribuir para escalar o negócio, ajudando a startup a expandir o alcance do mercado, no aprimoramento de processos, novas contratações e até mesmo a adquirir outras empresas.  Os valores ofertados variam entre R$40  a R$ 100 milhões.

Série C

Por fim, esta é a última classificação para as rodadas de investimento. Neste momento, os investidores procuram as empresas com maior relevância no mercado, que podem representar um investimento bilionário e um retorno exponencial.

Geralmente, os recursos servem para expansão internacional ou mudança de patamar da startup. Dessa forma, colocando o negócio como um unicórnio e chegando ao patamar de empresa mundialmente conhecida.

Vale lembrar que é a etapa de investimento que, normalmente, acontece antes da abertura de capital na Bolsa de Valores, ou IPO. Momento em que uma empresa pode contar com investidores em todo o mundo.

 

Quer saber mais dicas sobre o mundo dos negócios?
Então siga o WorkStars nas redes sociais LinkdIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também