Direitos autorais

YouTube lança ferramenta que confere violação de direitos autorais durante upload

Para quem trabalha com produção de conteúdo em vídeo para o YouTube passa por um perrengue chamado: direitos autorais. O YouTube faz essa vistoria justamente para os criadores não estarem correndo o risco de usar o conteúdo de um outro criador de conteúdo, sem os devidos créditos. 

No entanto, muitas dessas análises ocorrem depois que o vídeo já está no ar. O que pode prejudicar o criador com o interrompimento da monetização ou até ter o seu vídeo excluído do canal. Ou até, quem sabe, ter o seu canal inteiro excluído, como quase aconteceu com o youtuber Rato Borrachudo, em 2020. 

Agora, esse ponto específico pode melhorar para os youtubers. Isso porque a plataforma liberou uma ferramenta que analisa uma possível violação dos direitos autorais antes mesmo do vídeo ser publicado

A análise da plataforma acontece durante o próprio upload e já avisa ao criador se o vídeo descumpre ou não as regras. A ideia é justamente permitir que o criador corrija os erros antes de publicar e, assim, evitar que seu vídeo sofra futuramente com um possível banimento ou falta de monetização. 

Punição nunca mais – ou quase isso 

Por mais que, teoricamente, a ferramenta vai servir como uma impedidora de punições, o próprio YouTube mostra que não vai ser bem assim. Isso porque, mesmo com a aprovação durante o upload, o vídeo ainda pode ser penalizado

Até porque o vídeo abre a possibilidade de se tornar um alvo de reivindicações manuais. Ou seja, o criador detentor dos direitos ainda pode reivindicar. 

Leia também: Desvendando o Código: como se comunicar melhor?

Por isso, a ideia da plataforma, na verdade, é de reduzir o número de punições. 

Como é feita conferência da violação de direitos autorais 

O YouTube se utiliza do recurso de Content ID. Nesse caso, ele passa a ser o responsável por analisar o conteúdo do vídeo e verificar se algum trecho faz parte de algum outro conteúdo que é protegido. 

Segundo a própria plataforma, essa verificação leva cerca de três minutos. E então, a ferramenta indica o trecho que viola. 

Essa estratégia, além de diminuir o número de punições, também descarta uma prática muito comum nessas situações, que é a de publicar um vídeo privado ou não listado. Ao publicar em uma dessas duas maneiras, o criador de conteúdo consegue ter ideia se o seu vídeo viola os direitos autorais, sem deixar o vídeo público.

FONTE

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também