startups unicórnios do Brasil

Descubra quais são as startups unicórnios do Brasil

O Brasil conta com 7 representantes no seleto grupo de mais de 400 startups unicórnios ao redor do mundo. Descubra quem são elas!

Uma organização com o objetivo de desenvolver um modelo de negócios escalável, capaz de ser replicado e disruptivo – essa é a definição básica para o termo startup, empresas geralmente (mas não necessariamente) de base tecnológica que atuam em diversos segmentos.

Segundo o portal Get2Growth, existem mais de 300 milhões de startups atualmente no mercado. Apenas pouco mais de 400 dessas empresas alcançaram desde 2013 – quando o termo foi utilizado pela primeira vez – o status de “unicórnio”.

Mas o que é uma startup unicórnio?

O conceito foi lançado por Aileen Lee, da Cowboy Ventures, quando o Facebook adquiriu o Instagram.

De lá para cá é comum chamar essas empresas emergentes de “unicórnio” quando elas alcançam um valor de mercado acima de US$ 1 bilhão.

Somando-se o valor de mercado de todas essas empresas, o número chega a aproximadamente US$1,553 trilhões com destaque para a Bytedance (China), uma empresa de inteligência artificial, a SpaceX (EUA), focada em tecnologia espacial e a One97 Communication, uma fintech indiana.

E a lista das startups unicórnios do Brasil?

Com cerca de 13 mil startups espalhadas em todo o território nacional, o Brasil entrou no seleto grupo no começo de 2018 com a 99 (aplicativo de transporte particular) alcançando a marca de US$ 1 Bilhão.

Ao longo de 2018, mais duas empresas se juntaram à 99. Em 2019, outras cinco.

Em 2020 foi a vez da Loft, startup do mercado imobiliário que oferece facilidades na hora de comprar e vender apartamentos como crédito com garantia de imóvel, entrar na lista. Conheça as outras startups unicórnios brasileiras à seguir!

EBANX – Primeira representante da região sul do país, a Ebanx é uma startup paranaense que oferece uma ponte de pagamento em moeda local entre os consumidores brasileiros e empresas de fora como Airbnb e Spotify.

Loggi – A popular empresa de entregas tornou-se unicórnio em junho de 2019 com o investimento de US$ 150 milhões por parte do grupo Softbank e tornou-se uma das primeiras startups brasileiras com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão.

Nubank – Para explicar o tamanho do Nubank no mercado é preciso explicar outro conceito desse universo.

A empresa de facilitação de pagamentos virtuais é um unicórnio desde março de 2018, mas alcançou o status de “decacórnio” na metade de 2019 por passar a valer US$ 10 bilhões.

Ifood – A marca conhecida pelo aplicativo que tornou mais simples a vida de 11 entre 10 brasileiros que não sabiam o que comer no jantar recebeu um aporte de US$ 500 milhões no fim de 2018 por parte dos fundos Innova Capital e Naspers para alcançar o desejado valor de mercado das startups unicórnios.

Wildlife – Desenvolvedora de games para dispositivos móveis, a Wildlife nasceu em 2011 a partir do empreendedorismo dos irmãos Arthur e Victor Lazarte.

Com escritórios espalhados pelo mundo e contando em seu portfólio com alguns dos jogos mais baixados para Android e iOS, a empresa possui hoje um valor de mercado de US$ 3 bilhões.

QuintoAndar – Cobrindo a maior parte das capitais e regiões metropolitanas brasileiras, a QuintoAndar é uma espécie de “Airbnb” para contratos de aluguel, viabilizando todo o processo e tornando prática a relação entre proprietários e inquilinos.

A empresa chegou à marca dos unicórnios em setembro de 2019 após um investimento de US$ 250 milhões do grupo Softbank em parceria com o fundo Dragoneer.

Conclusão

Com um mercado competitivo onde 0,1% das startups possui estrutura e capacidade para alcançar o status de unicórnio, é notável o potencial brasileiro para desenvolver ideias disruptivas que atraem a atenção de grandes investidores.

Hoje são apenas 9 empresas, mas certamente ouviremos muito mais notícias sobre startups com ideias revolucionárias e de enorme potencial no país. 

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também