Robôs: o que temos hoje e o que esperar para amanhã?

Os robôs são uma consequência da tecnologia. Hoje em dia eles fazem parte do nosso dia a dia de formas que muitas vezes nem percebemos. Temos robôs que varrem o chão, organizam nossa agenda e até que criam outros robôs. E tudo isso faz com que a vida dos humanos seja ainda mais prática.

A palavra “robô” foi usado pela primeira vez em 1921. Karel Capek escreveu uma peça de teatro na Tchecoslováquia que tratava sobre o assunto. Em tcheco, o termo significa “trabalho” e foi usada justamente no sentido de uma máquina que substitui o trabalho humano.

No entanto, o termo ficou ainda mais conhecido com o famoso livro Eu, Robô. O escritor de ficção científica, Isaac Asimov, cunhou o termo “robótica” para definir o campo de estudo dos robôs. Ele é considerado um dos principais autores da robótica e foi o maior expoente literário de ficção científica do século 20.

 

Da ficção para a vida real

Já sabemos que os robôs não ficaram só nos livros e imaginação de escritores. Mas eles não começaram sendo tão… inteligentes. O primeiro robô industrial moderno, o Unimate, foi patenteado nos Estados Unidos, em 1946.

Hoje em dia, são mais de 700.000 robôs empregados nas indústrias em todo o mundo. Dentre os principais benefícios para a indústria estão redução de custos, aumento da produtividade, melhor aproveitamento de matéria-prima, economia de energia e muitos outros. Nesse sentido, o índice de automação na indústria automobilística é de 90%, em geral, mas em algumas fases da produção pode chegar a 100%. São robôs produzindo outros robôs e máquinas.

Porém, se você acha que esses robôs têm um aspecto industrial, bruto e sem vida, precisa rever seus conceitos.

Atualmente temos robôs fazendo cirurgia em seres humanos! Em cirurgias delicadas e que exigem a máxima precisão de movimentos, os braços robóticos se tornaram grandes amigos da medicina moderna. Os robôs cirurgiões já estão presentes em hospitais em todo o mundo.

Robôs em cirurgia - Imagem: Gizmodo
Robôs em cirurgia – Imagem: Gizmodo

Mas nesse momento você pode pensar: tudo isso está longe da realidade e do dia-a-dia comum. É provável que a maioria das pessoas passe a vida sem ver um robô de fábrica ou um robô cirurgião. E isso é verdade. No entanto, existem robôs muito mais próximos da nossa casa.

 

Você já tem robô em casa? Provavelmente

Um sonho da ficção científica são os robôs que desempenham tarefas domésticas. Hoje em dia você pode comprar um aspirador de pó e passadores de pano úmido automáticos. Você também pode comprar robôs que limpam vidros e piscinas, cuidam do chão da sua casa e até cuidam do jardim.

Cientistas trabalham para trazer cada vez mais robôs para a vida dos seres humanos. Eles poderão realizar tarefas simples, como acender a luz, carregar as compras e fazer a limpeza. Ou você optar pela compra de um assistente virtual (como a Alexa, Siri, Cortana ou Google Assistente) que além de conversar, contar piadas e organizar sua agenda… também pode se comunicar com outros robôs.

Hoje é super possível (e até mesmo acessível, sem preços megalomaníacos) ter uma casa com um assistente virtual que administre sua rotina. Muita gente já acorda sentindo o cheirinho de café fresco depois de programar rotinas com a ajuda desses robôs. Essa é a Internet das Coisas. Além disso, também é possível programar seu assistente virtual para tocar uma música calma toda vez que seu cachorro começar a latir, por exemplo.

Se você ainda não tem um robô, provavelmente terá muito em breve.

LEIA MAIS: Amazon lança seu robô inteligente e outras novidades

O vídeo acima mostra o lançamento do Astro (um dos netos da Alexa, por assim dizer).

E se você acha que assistentes virtuais ainda estão muito longe da sua realidade, aqui vai outro exemplo: smart tv. Houve uma época em que a televisão transmitia apenas o que era captado pela antena ou cabo. Hoje em dia você pode acessar a internet, assistir streaming, baixar e comprar conteúdos.

Portanto, é fácil visualizar o futuro a médio prazo: o grande desenvolvimento tecnológico fará com que em breve os robôs sejam capazes de entender, analisar e realizar tarefas rotineiras com Inteligência Artificial. Dessa forma, nosso dia a dia será cada vez mais fácil na companhia desses novos “colegas de quarto”.

Mas se você quer saber o que vem para o futuro a longo prazo, conheça o Ameca. Ele fez sucesso por ser… humano demais.

Ele é o novo robô da empresa britânica Engineered Arts, especializada em máquinas humanoides. Will Jackson, CEO da Engineered Arts, disse em uma entrevista que os robôs da empresa são expressivos porque são feitos para interagir com pessoas. Inicialmente irão custar cerca de 100 mil libras (aproximadamente R$ 770.000).

Mas não se preocupe. Por enquanto, o Ameca ainda não possui a habilidade de andar. Para a alegria de uns e medo de outros, dar pernas ao robô está nos planos da empresa.

Fonte 1 | Fonte 2

Quer saber sobre o mundo dos negócios?
Então siga o WorkStars nas redes sociais LinkdIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também