Boicote à Rússia | Arte por Moacir Alves

Boicote à Rússia: veja como grandes marcas vem se posicionando

Desde os primeiros ataques da Rússia contra a Ucrânia, no final de fevereiro, diversas marcas em diferentes setores estão se posicionando e tomando medidas sobre seus produtos no país. A princípio, gerando um grande boicote à Rússia, multinacionais afirmam que além do posicionamento contra a guerra, o risco comercial também incentivou a saída do país.

Em contrapartida, o governo de Vladimir Putin, por sua vez, baixou no início do mês um decreto proibindo os estrangeiros de venderem ativos russos. A intenção da ação é a de ganhar tempo e dificultar a saída dos investidores. A lista de empresas que estão cortando os laços com o governo russo não para de crescer. Uma das primeiras entidades a boicotar a Rússia foi a Fifa.

 

Boicote à Rússia - Fifa | Ozan Kose/AFP
Boicote à Rússia – Fifa | Ozan Kose/AFP

 

A entidade que comanda o futebol mundial  em conjunto com a Uefa, anunciou a suspensão da federação russa de todas as competições internacionais no dia 28 de fevereiro. Dessa forma, os russos não poderão disputar a copa do mundo no Qatar que acontece este ano. De acordo com o comunicado da Uefa – “O futebol está totalmente unido aqui e em total solidariedade com todas as pessoas afetadas na Ucrânia”.

 

Boicote à Rússia: outras marcas que anunciaram a saída parcial ou definitiva

 

Netflix suspende produções originais da Rússia

Netflix suspende produções originais da Rússia | divulgação
Netflix suspende produções originais da Rússia | divulgação

 

A Netflix anunciou que está paralisando todos os futuros projetos e aquisições programados para acontecer na Rússia como forma de protesto. Além disso, no início da última semana, a Walt Disney cancelou a estreia do filme Red: Crescer é uma Fera na Rússia; a Warner Bros com The Batman e a Sony com Morbius.

Já o Festival de Cinema de Cannes comunicou que não irá aceitar delegação ou visitantes russos relacionados ao governo no evento. Da mesma forma, na última semana, o Festival de Cinema de Venice e de Glasgow tiveram decisões parecidas.

 

Xbox suspende venda de consoles na Rússia

Segundo o comunicado no blog oficial da Microsoft, o presidente da empresa, Brad Smith, não mencionou diretamente a marca Xbox. Contudo, esclareceu que a decisão abrange a venda de todos os produtos e serviços da empresa.

Como o resto do mundo, estamos horrorizados, irritados e tristes com as imagens e notícias vindas da guerra na Ucrânia e condenamos essa invasão injustificada, não provocada e ilegal da Rússia“, escreveu Smith.

Além disso, a empresa japonesa dona da marca PlayStation retirou, sem divulgação, o novo jogo de corrida Gran Turismo 7 de circulação na Rússia. O título foi lançado na última sexta-feira em todo mundo, menos no território do leste europeu e na versão da PlayStation Store do país.

 

Google interrompeu venda de anúncios na Rússia 

Google interrompeu venda de anúncios na Rússia | Logo divulgação
Google interrompeu venda de anúncios na Rússia | Logo divulgação

 

Segundo uma reportagem da Reuters, o Google interrompeu a venda de anúncios na Rússia. Em comunicado a companhia que é uma das maiores vendedoras de anúncios do mundo expõe que – “À luz de circunstâncias extraordinárias, estamos pausando os anúncios do Google na Rússia”.

Outras empresas e plataformas online, como o Facebook, por exemplo, bloquearam anúncios gerados por veículos jornalísticos estatais da Rússia após o país ter restringido o acesso dos russos à rede social. Além disso, a Microsoft também interrompeu a exibição de publicidade de jornais como o RT e Sputnik.

De acordo o jornal New York Times, o Google age com bastante cautela para evitar a atenção do governo russo, principalmente para preservar a integridade dos funcionários que trabalham no país.

 

Spotify fecha escritório na Rússia 

Mais uma empresa que entrou no boicote à Rússia foi o Spotify. O serviço de streaming musical, anunciou o fechamento do seu escritório na Rússia e decidiu remover da plataforma os conteúdos publicados nos canais da Russia Today (RT) e Sputnik. Também segundo a agência Reuters, podcasts e outros materiais foram removidos nos Estados Unidos e União Europeia, mas ainda permanecem acessíveis na Rússia.

Em um comunicado, o Spotify garantiu que a prioridade foi garantir a segurança dos funcionários que trabalham no país. Além disso, permitir que a plataforma sirva como uma fonte de notícias globais e regionais em um momento no qual o acesso à informação de qualidade é fundamental. O serviço ainda liberou um guia na plataforma para ajudar as pessoas a encontrar fontes de notícias confiáveis.

 

McDonald’s fecha temporariamente 850 restaurantes na Rússia

Loja do McDonald's na Rússia
Loja do McDonald’s na Rússia

 

O McDonald ‘s, anunciou ontem (08), o fechamento temporário e suspenção de todas as suas operações no país de 850 lojas na Rússia. Em comunicado, o CEO da empresa, Chris Kempczinski, disse em mensagem aos funcionários e franqueadores  que – “Nos juntamos ao mundo na condenação à agressão e violência, e estamos rezando pela paz“.

Contudo, o CEO assegurou que o grupo continuará remunerando seus 62 mil funcionários no país. Além disso, dentro do segmento, a Coca-Cola também informou que paralisou as suas operações, e a rede de café Starbucks disse que suspendeu todas as atividades comerciais na Rússia.

 

Além das marcas citadas acima, outras também suspenderam ou interromperam temporariamente seus serviços com a Rússia. Confira:

Empresas que removeram parcialmente ou completamente as atividades na Rússia. Imagem: @bneeditor / Twitter
Empresas que removeram parcialmente ou completamente as atividades na Rússia.
Imagem: @bneeditor / Twitter

 

Fonte 1| Fonte 2 | Fonte 3 

Quer saber mais dicas sobre o mundo dos negócios?
Então siga o WorkStars nas redes sociais LinkdIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também