NegóciosTech NewsTodos os Posts

Pix completa seu primeiro ano: entenda o que mudou até aqui

O Pix, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC), completou 1 ano de funcionamento no país na última terça, dia 16. Revolucionando a forma de recebimento e pagamentos por meio digital, o recurso ganhou rápida popularidade entre os consumidores. Só no primeiro mês de vigência da modalidade, mais de R$ 83,4 bilhões foram movimentados por esse meio.

Além disso, de acordo com dados do BC, entre novembro de 2020 e março de 2021, já haviam sido realizadas mais de 1 bilhão de transações Pix, movimentando cerca de R$ 800 bilhões. Atualmente, o Pix representa 72% das operações de transferência, superando TED, DOC e Boleto.

Abraçado pelo país, ao final de outubro de 2021, o Diretório de Contas Transacionais do Banco Central (DICT), contava com exatos 112.650.205 usuários. Além disso, a quantidade de chaves cadastradas também cresceu exponencialmente. Em novembro de 2020, eram 95 milhões de registros. Dessa forma, em outubro de 2021 fechou com um total de 348 milhões. Buscando aperfeiçoar a plataforma e criando estratégias contra fraudes, foram anunciadas mudanças e novidades.

"Número

Após esse primeiro ano, chegam algumas mudanças para melhorar a experiência do usuário. Na última terça-feira (16), foram divulgadas algumas que já entraram em vigor, porém, até o fim do ano ocorrerão outras. 

Mudanças que chegam no Pix:

  • Devido a golpes que ocorrem principalmente na parte da noite, o Banco Central implementou uma limitação no Pix. A princípio, as transferências realizadas entre às 20h e às 6 horas da manhã não podem ser superiores ao teto de R$ 1 mil.
  • Da mesma forma, o bloqueio preventivo de recursos e devolução de valores em casos de fundada suspeita de fraude ou falha operacional, entrou em vigor na última terça-feira,16.

Outras funcionalidades que entrarão em vigor ainda no mês de novembro são: o Pix Saque e o Pix Troco.

  • No Pix Saque será possível transferir uma quantia usando o Pix para uma loja de departamento, por exemplo, e receber o valor em cédulas. A novidade estará disponível a partir de 29 de novembro.
  • O Pix Troco segue parecido com o sistema anterior. Contudo, o cliente poderá fazer uma compra pagando com Pix e receber o troco em cédulas. A novidade estará disponível a partir de 29 de novembro também.

Além disso, ainda terão: bloqueio cautelar, notificação de infração, mecanismos adicionais para proteção dos dados e ampliação do uso de informações para fins de prevenção à fraude. Para o futuro, segundo o presidente do BC, a expectativa é de que o Pix realize transações internacionais e pagamentos por aproximação a médio prazo.

Link para o ebook completo sobre: https://bit.ly/2Z4AxxX

iugu & Pix

Iugu / divulgação
Iugu / divulgação

Utilizar o Pix no seu e-commerce é uma opção muito vantajosa. Dessa forma, para usar a plataforma como meio de pagamento no seu e-commerce, é necessário ter uma conta em um banco ou uma fintech. A iugu é uma das instituições autorizadas pelo BC a operar o Pix em sua plataforma de pagamentos.

Além disso, a iugu não cobra nada para ativar o Pix. Apenas quando uma venda for realizada é que existe a cobrança de tarifas. A iugu auxilia você no seu negócio a automatizar os processos financeiros através de uma tecnologia inteligente desde a implementação até a gestão dos recebimentos.

Para mais infos da iugu, acesse: https://www.iugu.com/

Fonte 1Fonte 2

Quer saber mais dicas sobre o mundo dos negócios?
Então siga o WorkStars nas redes sociais LinkdIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

Juliana Santana

Jornalista e fundadora do portal Gramofone Ativo

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *