Startups de doces | Arte por Moacir Alves

Startups de doces: páscoa gera oportunidade para negócios

A época conhecida como a mais doce do ano, chegou! Contudo, não é somente pela troca de ovos que se resume a páscoa, a data também gera trabalho e renda para muitos pequenos e grandes negócios. Startups de doces aproveitam a data comemorativa para se concentrarem em entregar o que os consumidores buscam na páscoa.  

Com a alta dos preços das grandes produtoras de ovos de páscoa, a busca por produtos artesanais é cada vez maior, tornando-se uma ótima opção de investimento para quem deseja uma segunda renda. Dessa forma, os confeiteiros embarcam na produção de ovos e produtos relacionados a chocolate.   

Ovo de páscoa recheado – Foto: Divulgação
Ovo de páscoa recheado – Foto: Divulgação

De acordo com o coordenador da área de A&B do Sebrae RS, Roger Scherer Klafke, padarias, confeitarias, e até pequenas indústrias têm na data a oportunidade de inovar e explorar ações no ponto de venda. Seja com decoração, serviços especiais ou até mesmo desenvolver novos produtos.

Espaço no mercado tem para todos e saber se reinventar é uma das características dos empreendedores. Confira, algumas startups nesse segmento. 

Startups de doces:

Dengo

 

Produtos Dengo - Reprodução
Produtos Dengo – Reprodução

 

Provavelmente, você já conhece a marca Dengo. A marca de chocolates que explora os sabores do Brasil foi fundada por Guilherme Leal, um dos principais acionistas da Natura & Co. Atualmente, a marca possui cerca de 30 lojas e já entrou na lista anual Top Startups do LinkedIn 2021, ocupando a sétima posição. O ranking traz as dez startups mais jovens e efervescentes que os brasileiros desejam trabalhar.  

No final de 2020, a Dengo Chocolates inaugurou em São Paulo uma loja-conceito com direito a tour na fábrica da empresa. Já em 2021, a startup passou a utilizar um seguro especial para produtores de cacau do sul da Bahia para mitigar os impactos das alterações do clima na produção. Além disso, a companhia acredita haver espaço para até 200 lojas no Brasil ao longo dos próximos anos.

De acordo com o portal Neo Feed, o quilo de um chocolate Dengo sai por R$ 249,00 e a empresa está em um segmento denominado bean to bar (do grão à barra), que consiste em um processo de fabricação mais natural e usa mais cacau em suas formulações.

 

Chocolates de Mendes 

 

Chocolates de Mendes  | Divulgação
Chocolates de Mendes  | Divulgação

 

A empresa brasileira Chocolate de Mendes, foi criada em 2014 e produz um chocolate com terroir amazônico, elaborado a partir do cacau nativo da região. César de Mendes é o responsável pela produção na fábrica localizada na comunidade Colônia Chicano, em Santa Bárbara, na região metropolitana de Belém (PA).

No fim do mês de Outubro de 2021, a startup de doces, foi premiada como a startup do ano no Fórum Mundial de Bioeconomia, realizado em Belém (PA) e transmitido via internet. Segundo comunicado, a companhia informou que o comitê de premiação levou em consideração o impacto para a bioeconomia circular e para reduzir efeitos das mudanças climáticas.

Além disso, a companhia trabalha junto a comunidades tradicionais, como indígenas e quilombolas, além de ribeirinhos e agricultores familiares. Eles atuam como parceiros e fornecedores do cacau usado como matéria-prima dos chocolates.

 

 Vem de Bolo

 

 Vem de Bolo | Divulgação
Vem de Bolo | Divulgação

 

A Vem de Bolo é a primeira startup da Nestlé que se anuncia também como o primeiro marketplace de bolos do Brasil. Na plataforma, o cliente encontra mais de 400 itens, entre bolos simples ou recheados, tortas, doces veganos, e todas as opções já na temática de páscoa. 

Além de vender pela plataforma, as confeiteiras cadastradas possuem descontos na compra de insumos da Nestlé e outros benefícios. Em um ano e meio de operação, a Vem de Bolo registrou aproximadamente 6 200 clientes atendidos na capital paulista. Além disso, todo o contexto de pandemia fez com que a startup decolasse.

 

Pettit Cookies 

 

Pettit Cookies | Divulgação
Pettit Cookies | Divulgação

 

Por fim, fechando nossa lista de startup de doces, temos a Pettit Cookies. Fundada pela jornalista Letícia Albuquerque, a empresa é recente e nasceu no ano passado. Leticia possuía a confeitaria como hobby e após o encorajamento da família e amigos, decidiu criar sua própria marca que foi um verdadeiro sucesso no último natal.

Os biscoitos são feitos de gengibre com variedades de especiarias como canela, cravo e essências de baunilha. Para a edição de Páscoa, a Pettit preparou biscoitos em formatos de coelhos, cenouras, ovos e muito mais. Os biscoitos são vendidos por kits de três (R$ 25) seis (R$ 40) e dez (R$ 70).

Com nomes temáticos como Toca do Coelho, A Páscoa Chegou, Cenourinhas, Caça aos ovos. As encomendas podem ser feitas por telefone (11) 982904841 ou pelo Instagram da marca.

 

Quer saber sobre o mundo dos negócios?
Então siga o WorkStars nas redes sociais LinkdIn | Instagram | Youtube | B2B para Startups

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também