Conteúdo em áudio

Como o conteúdo em áudio se tornou o queridinho entre criadores?

A internet hoje vem sendo dominada pelo áudio. Por mais que o vídeo tenha sido o grande epicentro dos conteúdos na internet, o conteúdo em áudio vem demonstrando cada vez mais poder.

Tanto que o próprio YouTube vem sendo usado para produções de podcasts, que trazem, justamente, o foco no áudio. Formatos como os do Flow, Venus Podcast, Inteligência LTDA, Mais que 8 minutos vêm sendo cada vez mais comuns dentro das plataformas de vídeo, como o YouTube.

Nisso, produtores de conteúdo aproveitam o cenário de crossmedia para, assim, ter o mesmo conteúdo em vídeo e em áudio. Com isso, o criador oferece ao espectador/ouvinte a melhor forma para consumir aquele conteúdo.

Obviamente, os conteúdos audiovisuais seguem com seu poder. Porém, não conseguem entregar essa “conversão” para o áudio, já que as imagens (ou a própria edição) são elementos centrais àquele conteúdo. Com esse cenário, é que vem a grande questão desse texto.

Por que o áudio ganhou tanto relevância entre os criadores de conteúdo?

Mais conteúdo, menos investimento

Um dos principais pontos para essa mudança no cenário é, justamente, a grana. Investir em audiovisual envolve não só equipamentos, mas a própria gravação em si, que pode exigir filmagens externas, ou seja, em lugares além do próprio quarto. Isso sem contar a própria edição do vídeo, que não necessita só do próprio profissional, mas de todo um repertório para construir conteúdos conquistadores.

A produção em áudio também exige investimento, porém, bem mais reduzido. Depois de focar em equipamento, basta a produção para bons convidados. Conteúdos dos canais citados anteriormente trazem justamente essas características: bons equipamentos e bons convidados. Nesses casos, o conteúdo é foco, tanto que nem entregam edição.

Áudio e a conquista do tempo

Além de dinheiro, o conteúdo em áudio traz outro grande ponto na internet: tempo. Porém, de uma maneira diferente do esperado.

Enquanto a internet de um lado caminha com conteúdos curtos e dinâmicos (próprio TikTok e Reels), por outro, traz conteúdos cada vez mais longos com os podcasts em vídeo, chegando a conversas de mais de 03 horas de duração.

Não necessariamente o espectador acompanha o conteúdo por completo, durante a exibição. No entanto, esse tipo de conteúdo oferece ao espectador a facilidade de consumir o momento que quiser e a hora que quiser. No caso, o consumo pode ser feito, tanto em frente ao computador e realmente assistir a conversa, ou simplesmente escutar enquanto faz outras coisas.

E tudo isso é convertido em números muito positivos. Tanto em audiência quanto em engajamento.

Bem mais perto da audiência

Conteúdos neste formato trazem também uma poderosa vantagem envolvendo a audiência. Por ser um conteúdo mais intimista, já que são conversas que envolvem muito do pessoal, isso faz com que o público se sinta mais à vontade com o criador. E confie mais nele também.

Isso, para marcas é algo essencial. Com a confiança nos criadores de conteúdo, os espectadores acreditam no produto apresentado.

E não é só positivo para marcas. Esses conteúdos também abrem uma oportunidade para artistas demonstrarem um lado ainda não visto pelo público. O que pode ajudar – e muito – no lado profissional, justamente por apresentar a parte humana, e não só artística. Nisso, gera mais admiração pelo artista em si.

FONTE

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também